Encontre o produtor por País

Conheça a história por trás do rótulo

Mauricio Lorca

Mauricio Lorca / Argentina

O enólogo argentino Mauricio Lorca dispensa maiores apresentações. Seus vinhos intensos, complexos e inovadores já falam por si e confirmam toda a fama e expressão do terroir mendocino

Um dos mais conhecidos e respeitados enólogos da Argentina, Mauricio Lorca iniciou a carreira ainda muito jovem, aos 21 anos, na Bodega Esmeralda, pertencente ao poderoso grupo Catena Zapata. Antes de partir para vôo solo, trabalhou na Michel Torino, Luigi Bosca e Finca La Celia. Em 1999, adquiriu 29 hectares de vinhedos em uma fazenda secular no distrito de Vista Flores, região do Valle de Uco, a cerca de 100 quilômetros de Mendoza, para enfim fundar a sua Bodegas y Viñedos Mauricio Lorca. Ali, aos pés da Cordilheira dos Andes e a 1.050 metros acima do nível do mar, cultiva as cepas Sauvignon Blanc, Viognier, Malbec, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Syrah e Petit Verdot, colhidas manualmente.

Com um conceito inovador, o experiente Lorca desenhou engenhosamente vinhedos com 6.850 plantas por hectare, de baixo rendimento, com produtividade de duas garrafas por videira, a fim de obter a melhor matéria-prima possível. Com isso, elabora vinhos intensos, de alta concentração e complexidade, que exibem todo o potencial do terroir argentino. A orientação das vinhas converge do sentido noroeste para sudoeste, obtendo assim uma maior exposição das uvas pela manhã e protegendo-as do sol no período da tarde. O clima, por sua vez, é bastante favorável, pois os vinhedos estão situados em uma zona do Valle de Uco onde há pouca incidência de granizo. Ali, também, há uma grande amplitude térmica, entre 20° C e 25°C, e baixas precipitações pluviométricas, em torno de 250 mm anuais.

Lorca ainda conta com outros trunfos na manga. O solo mendocino, por exemplo, é franco-arenoso, permeável, sem camadas duras e com setores pedregosos. Outro fator característico dessa zona é a ocorrência de nevadas, durante o inverno, que ajuda a fortalecer o ciclo vegetativo das videiras. Já a água utilizada nos vinhedos, por gotejamento, provém do degelo do maciço andino. Com esse conjunto de fatores, obtém-se uma maior concentração de aromas, cor e taninos maduros, resultando em vinhos de excelente qualidade.

Toda a vinificação é realizada na vinícola de Maurício Lorca, situada estrategicamente a 25 quilômetros de Mendoza, na zona alta do rio Mendoza, no distrito de Perdriel em Luján De Cuyo. Com capacidade de vinificação de 540.000 litros e 450.000 garrafas anuais, está equipada com tanques e modernos equipamentos para a elaboração de vinhos de alta qualidade. Lá é produzida, dentre outras, a linha Finca Angel, que inclui os varietais Cabernet Sauvignon, Cabernet Sauvignon Reserva, Malbec, Malbec Reserva e Torrontés Riojano. Exceto este último, cuja fermentação alcoólica é feita em tanques inoxidáveis, os demais tintos são fermentados em tanques de concreto, com estágio entre 3 e 6 meses em barricas novas de carvalho francês. De perfil gastronômico e excelente relação custo-qualidade, são vinhos que apresentam estrutura aromática que privilegiam a fruta, ótima expressão varietal, textura e equilíbrio em boca.

Voltar