Encontre o produtor por País

Conheça a história por trás do rótulo

Castell del Remei

Castell del Remei / Espanha

Ao introduzir no terroir de La Noguera métodos e castas francesas associando-as às cepas locais, esta bodega de tradição bicentenária ganhou fama e prestígio por produzir vinhos de acento francês, com originalidade e qualidade excepcionais. A origem desta vinícola catalã remonta ao final do século XVIII, mais precisamente em 1780, ano em que foram cultivadas as primeiras vinhas da propriedade do Castell (ou castelo, em bom português) del Remei, situadas na comarca de La Noguera. No seu início, o vinho era produzido e vendido a granel. Apenas na segunda metade do século XIX, a bebida passou a ser envelhecida em barricas européias (crianza) e, a seguir, engarrafada. Com o auxílio de um enólogo e de quatro famílias de agricultores procedentes da região de Bordeaux, na França, teve início a produção de vinhos que inclui a etapa de amadurecimento em barricas de carvalho americano, seguindo os cânones clássicos de vinificação de Bordeaux.

Com isso, a bodega Castell del Remei se tornou a primeira vinícola catalã a introduzir no mercado espanhol o vinho de crianza (ou envelhecido) com marca própria e também a pioneira em trabalhar com variedades francesas, como a Cabernet Sauvignon e a Semillon Blanc. Após o replantio das vinhas afetadas pela filoxera, nas primeiras décadas do século XX, a bodega chegou a ser proprietária de 400 hectares de vinhedos de castas internacionais e locais (hoje, ela possui gerencia 140 hectares, dos quais 70 são próprios e 70 de vinicultores da região, que recebem supervisão da bodega). Com isso, converteu-se à época na maior e melhor vinícola da Catalunha.

O edifício bicentenário no qual está abrigada é considerado uma construção representativa das bodegas mais representativas e autênticas da Espanha, que seguem o estilo dos antigos châteaux franceses.

Após décadas de mudanças e transformações, a Castell del Remei ressurgiu, nos anos 80, com inúmeros investimentos que a revitalizaram. Com este novo impulso, a bodega reafirmou sua antiga vocação exportadora, reposicionando-se como referência no cenário vitivinícola catalão, espanhol e internacional. Localizados a 250 metros de altitude, seus vinhedos estão plantados em solo franco-calcáreo, em parcelas situadas no leito do mar interior, formação que fazia parte da depressão central, durante o período Cenozóico, onde fica situada esta parte da Catalunha. Na parte sul da propriedade, o solo apresenta em sua composição rochas detríticas, típicas da região, o que confere uma mineralidade singular aos vinhos. Embora a composição rochosa do solo e o clima árido característico de La Noguera proporcionem o estresse hídrico e a drenagem ideal às plantas, a irrigação se faz necessária em determinados momentos, sobretudo nos verões rigorosos. O que já não ocorre nos vinhedos cultivados na parte norte, em cujo subsolo há a presença de um lençol freático.

Ao utilizar métodos e castas internacionais associando-as às cepas nacionais, a Castell del Remei mantém sua tradição e prestígio ao produzir vinhos de acento franco-espanhol, originalidade e qualidade excepcionais, e bom potencial de guarda. Caso, por exemplo, do Castell del Remei 1780, um tinto multicastas elaborado com as variedades Cabernet Sauvignon (50%), Tempranillo (25%), Garnacha (15%, Merlot (5%) e Syrah (5%), com 18 meses em barricas novas de carvalho americano e francês, e mais um ano em garrafa; do Castell del Remei Oda 2008 (mescla de Merlot (50%), Cabernet Sauvignon (25%), Tempranillo (15%) e Syrah (10%), com 12 meses em barricas novas de carvalho americano; e o Gotim Bru 2009 (Tempranillo (35%), Garnacha (30%), Cabernet Sauvignon (20%), Merlot (10%) e Syrah (5%), com 10 meses em barrica de caravalho americano e francês.

Voltar